Aprenda algo novo

Programar é algo fácil de se aprender. Aprendi a programar aos oito ou nove anos, em BASIC para TK-90X. Programar bem, ser produtivo, é algo que leva um bocado de tempo. Conforme você avança programando em uma linguagem, vai descobrindo os segredos e armadilhas daquela linguagem. Encontra desenvolvedores que usam a mesma linguagem, formam uma linguagem e compartilham código. Constrói uma biblioteca pessoal de código e decora a solução de algumas dúzias de problemas simples (sei até hoje como alternar o QBASIC para os modos gráficos de tela, e como desenhar linhas e retângulos, embora já não me lembre como desenhar arcos e círculos.)
Programar é algo difícil de se aprender a segunda vez. Quando tentei aprender C no internato, as coisas foram bem mais difíceis. Não é porque a linguagem era mais difícil, lembre-se que muita coisa no TK a gente resolvia com Assembly. É porque aprender a segunda linguagem de programação é algo muito mais burocrático e menos apaixonante. É divertido aprender a construir algoritmos, pensar como a máquina e resolver problemas. É entendiante decorar os comandos de uma nova linguagem para fazer o que você já fazia antes, aprender a usar um compilador diferente, uma plataforma diferente e se lembrar de colocar o maldito ponto-e-vírgula no final de cada linha (ah, eu amo Python[bb]!)
É por isso que a inércia é tão grande entre as pessoas que desenvolvem em apenas uma linguagem, ou para apenas uma plataforma. E isso nos ajuda a entender porque a Microsoft vai ensinar os estudantes de São Paulo a programar.
Mas há boas notícas, senhoras e senhores. A primeira é que há conceitos novos e maneiras novas de pensar para se aprender, o que pode tornar a tarefa de aprender outra linguagem de programação apaixonante outra vez. Aconteceu quando eu descobri a Orientação a Objeto, e consegui finalmente aprender C++. Aconteceu quando eu descobri como era fácil (para os padrões da época) trabalhar com bancos de dados em Clipper. Aconteceu quando eu descobri Programação Orientada a Eventos no VB e no Delphi. Aconteceu quando eu descobri a web. Ah, a web… Linguagens de marcação, de script, server-side, client-side. Quanta coisa divertida para se aprender! E está acontecendo de novo agora com Python. Encontrei a Programação Pragmática, ou Programação “Direto-ao-Assunto”.
A segunda boa notícia é que a segunda linguagem é difícil, mas daí em diante fica tudo mais fácil. Como qualquer programador mediano com o tempo de carreira que eu tenho, sou fluente em pelo menos 10 linguagens/ambientes de programação, e consigo escrever código em umas 20. Então, se você é programador de um ambiente só, fica aqui o incentivo: aprenda alguma coisa nova. Tudo fica mais fácil a partir daí.

Publicado por

Elcio

Elcio é sócio fundador da Visie Padrões Web. Pioneiro no uso e divulgação dos padrões do W3C no Brasil, Elcio já treinou equipes de dezenas de empresas como Globo.com, Terra, Petrobras, iG e Locaweb. Além disso, tem dirigido as equipes da Visie no desenvolvimento de projetos web para marcas como Brastemp, Itaú Unibanco, Johnson & Johnson e Rede Globo.

6 comentários em “Aprenda algo novo”

  1. Olá Elcio, um feliz 2006 à você e todos que colaboram neste web blog. Lendo seu POST sobre ‘Aprenda algo novo’ meu fez recordar de como iniciei minha carreira em informática e me recordar de como muita coisa mudo em minha vida e como muita coisa vai mudar. Tenho certeza de que 2006 será um novo conceito e formulação da web. Estarei aqui lendo e aprendendo coisas novas.

    Um Grande Abraço e muito sucesso!!

    Wellington Rodrigues

  2. cara gostaria de saber.. pra se começar a progamar é melhor começar em q linguagem.. e se vc tem uma apostila de java pra iniciantes… com palavras menos complicadas e explicação pra q cada tipo de “tag”…(ñ é bem a palavra mas vai se ela q eu vo usa)… pois as apostilas q eu peguei todas explicam avançadamente… comecam ja fazendo vc progama sem vc intende pra q serve alguma “tag”…. sendo q vc nem sabe o q ta digitando…

  3. Bom, tenho que dizer que teho muita inveja de vocês que conseguem programar. Eu queria perguntar se em algum lugar da internet tem como eu aprender a mexer com essas linguagens de programção, algum tipo e manual, coisas que ensinam a mexer com essas linguagens. Fico esperando uma resposta. Valeu!!

  4. É por isso que bato sempre naquela tecla de usar diferentes programas ou sistemas operacionais, e não somente aqueles primeiros que se aprendeu. Tem gente que simplesmente tem um bloqueio quando viaja para o exterior e só encontra cibercafés com Macs. Este aprendizado mais rápido não acontece apenas com a segunda linguagem, mas com tudo na vida. Quando usamos um caminho diferente para ir à padaria, reparamos em vários outros detalhes que nunca antes vimos. Voltamos sempre com a percepção um pouco mais aguçada. E com mais percepção, qualquer aprendizado fica muito mais simples. Não somente para uma área específica da vida profissional ou pessoal, mas para todo o resto também. 8:*

  5. Olá, bom dia Resolvi escrever porque teu post me fez lembrar o meu tempo de ZX SPECTRUN em que eu programava em Basic. Nunca consegui descobrir como se metiam os códigos assembly, foi a minha frustração que até hoje não esqueci. Cheguei a fazer um programa muito engraçado em Basic em que eu inseria uma matricula de um vaiculo e ele apresentava-me todos os dados da pessoa a quem pertencia o carro e qual era o seu peso. Depois inseria a carga que ele levava e ele calculava-me tudo. Dizia-me o quanto o cliente tinha que pagar. No inicio os meus pais não confiavam no programa e faziam todas as contas com uma maquina até descobrirem que o programa não errava nas contas. Depois criei um programa para saber quantas toneladas se tinham vendido de vários produtos. com direito a grafico e tudo. Cheguei a fazer várias versões dum jogo chamado Abismo (Talvez umas 10 versões). Depois dessa experiência maravilhosa com o BASIC descobri o Clipper (que eu adorava). Depois aprendi Pascal, Visual Basic, Delphi, um poquinho muito pouquinho mesmo de C e até que finalmente descobri a web. Começei com ASP (que agora não suporto e não aconselho a ninguém) e até que finalmente encontrei a minha praia, o COLDFUSION (Que adoro). Essa é minha história. Um abraço César Oliveira icq: 5837286 msn: malainho2003@hotmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *