Por que sua estratégia de mobile começa com iOS?

Saiu a notícia hoje: Android ultrapassará Windows e será sistema mais usado do mundo, diz IDC.

Agora veja o gráfico:

Sistemas operacionais mobile navegando na web no Brasil de Fev/2011 a Fev/2012

Apesar disso, continuo recebendo das agências sites para construir que não tem versão mobile ou, quando tem, foi desenhada e deve ser construída para iPhone e iPad.

Cena comum numa reunião entre cliente e agência: todo mundo, de ambos os lados, coloca seu celular sobre a mesa. São todos iPhone. Logo, acho que até inconscientemente, eles deduzem que iPhone é o que importa. Alô pessoal! Vocês estão falando com 8,7% do público! Com um investimento semelhante, mas um pouquinho mais de planejamento, poderiam falar com praticamente todo mundo que está navegando no celular.

4 comments on “Por que sua estratégia de mobile começa com iOS?

    1. O gráfico demonstra o SO de acesso, acho que muito poucos usam o navegador padrão, a maioria usa o Opera. E ainda assim não dá pra simplesmente ignorar outras plataformas com maior alcance pq não são “tão boas”.

  1. Hello, (sorry to speak english, my portuguese is quite limited), but as i saw this on planet python brasil, i thought you might be interrested in kivy (kivy.org) that allows you not to choose and do python dev on both ios and android without changing the code, and the code is actually compatible with linux/windows/osx too, and it’s all lgpl :), kivy apps are accepted on both markets, you can test a game on apple market (http://itunes.apple.com/us/app/deflectouch/id505729681?mt=8c)
    some things like accelerometers or gps are not currently usable, but that should be fixable on both if needed.anyway i hope you don’t mind for the shameless plug and it will help a few people 🙂

  2. Elcio, eu tendo a concordar com você, mas vi hoje um artigo do Augusto, em http://br-mac.org/2012/03/analise-google-ganha-4x-mais-receitas-vindas-de-aparelhos-ios-do-que-do-android/ com um outro aspecto sobre o assunto. Interessante fazer uma reflexão a partir disso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *